quarta-feira, 10 de julho de 2013

Desacreditando

"O medo já não existia quando um olhar encontrava o outro. Era a mágica do momento que fazia até barulho quando os dois se tocavam. Era mais do que qualquer palavra no mundo pode explicar.

Quando diziam que o amor existia, um sorriso bobo invadia a sua face e ela simplesmente desacreditava. Hoje, são poucos os momentos em que ela finge que esse sentimento pode sim acontecer mais de uma vez na vida.

O mais interessante é a forma com que se tornou real. Foi uma mudança de caminho da esquerda para a direita, uma carona oferecida ao acaso, uma insanidade que resultou em qualquer coisa semelhante ao sentimento de estar à salvo.

Já é possível escrever poesias novamente desde que o medo foi embora. Já existe trilha sonora, lembranças que vão ser guardadas até o fim da vida, piadas com seus defeitos e qualidade. Sorrisos apenas por saber que é possível sorrir de verdade outra vez.

É alguma coisa feito travesseiro, que te dá conforto no mesmo minuto em que você recosta sua cabeça que há muito já não girava no eixo certo.

O medo já não existe, porquê um olhar conseguiu, enfim, encontrar o outro".

Um comentário: