sábado, 19 de junho de 2010

Casamento GRRRRRRW





Pela primeira vez na vida vou ser totalmente last week na minha forma de pensar.
Acho casamento uma coisa tão séria e eterna quanto a morte. Se as pessoas resolvem se juntar, viver na mesma casa, dormir na mesma cama e aquela velha frase 'comer o sal junto' é porque devem ter certeza absoluta do que estão fazendo certo ?! ERRADO.
Hoje em dia casamento virou business. As pessoas assinam contratos. É como se uma simplesmente comprasse a outra em alguma liquidação. Bobagem nossa achar que alguém ainda se importa com o juramento eterno de viver e morrer ao lado de uma pessoa só.
Não sei o que é o pior, o monstro do casamento certo cheio de eternidades com uma amante pulando no colchão do motel ou, isso de viver com um, outro, outra, vários...
Confesso que as vezes ser moderninho se torna tão vulgar quanto qualquer outra coisa vulgar do mundo.
Falo sobre isso porque hoje vou participar de uma cerimônia dessas onde a noiva chora, o noivo quase desmaia e ambos os pais se sentem abandonados. Pobres deles! que não sejam mais um casal a assinarem o divórcio daqui um ano. Afinal, é como meu pai diz : ' Se casar é fácil, descasar é mais fácil ainda'.
Me assusto muito com isso, porque claro, já estou na beira dos 20 e daqui meia hora 30, 35, 40... um dia chega minha vez, e aí, como reagir ?! não sou do tipo que vai falar um 'sim' logo de cara. Preciso de uns cem anos para pensar na resposta.
Por isso gosto de repetir que casamento é coisa séria, é muito mais do que estar junto na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza. Sei que meu pensamento a respeito disso vem dos anos 60, mas não consigo me ver participando dessa sociedade que divide os filhos durante a semana. Talvez seja por ter passado por isso na infância que hoje eu me assuste tanto com o monstro de véu e grinalda.
Enfim, o importante é que a festa role, os padrinhos fiquem bêbados dançando desordenadamente , as madrinhas tirem os sapatos, e todos fiquem juntos até que o divórcio os separe.



Insubstituível ?! Não brinca!


Por favor, parem com a hipocrisia de dizer : Nada substitui você. Isso não passa de lenda, de poeminha romântico barato demais.
Todas as pessoas, todas as coisas, todos os pensamentos tem substituição -menos a Bá- e isso não é segredo algum. Nunca foi.
Essas juras de eternidade são um tanto longas demais pra mim, e com certeza depois do eu te amo ter sido tão banalizado, para as pessoas espertas isso já não sobe e nem desce. Entende ?! Provavelmente não.
Simplificando: Mais uma vez se prova que o ser humano não é humano. É selvagem, animal, enganador e traiçoeiro. Totalmente sedutor.
Não que as pessoas devam olhar umas para as outras e fumegar ódio, lançar palavras que ferem e coisas de má fé, mas também pra que jurar algo que não será real ? pra que ajudar o mundo a ser mais falso ainda ?
Revolta sim. Mas, quem sou eu pra criticar.
Confesso que a maioria das pessoas agem por impulso, só pra sentir o gosto da maldita saliva saindo da boca quando se declaram. Puro egoísmo! Passam-se 10 minutos pra que mude de idéia e finja que nada aconteceu.
Super natural da nossa parte fingir que não falamos nada.
Ah bela raça que gosta de uma 'rinchazinha'!(nem sei se existe essa palavra).
Só penso que insubstituível ninguém é, e seja como for alguém sempre pega o lugar do outro em alguma esquina da vida.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Malditos sonhos!


Hoje, dia comum de temperatura agradável. Hoje, dia perfeito pra mais um texto imprestável.

Não tenho boas idéias pra escrever, muito menos soluções mundiais e quem dirá alguma história pra inventar e me achar a escritora do século.
Acho que meu cérebro não acordou junto comigo esta manhã. Dane-se.
Eu não tenho mesmo que ter criatividade todos os dias, e ai de quem me obrigar a isso! Mas, tem uma coisa que muito me interessa registrar: Tenho tido sonhos estranhos.
Essa noite foram pesadelos atrás de pesadelos, coisas assim bem tensas. Por várias vezes eu acordei só pra ter certeza de que eu realmente estava dormindo e que aquilo era mesmo um sonho ruim. Me impressiono fácil com essas coisas do inconsciente humano. A gente se transporta para cada lugar, cada coisa estranha que acontece, sem contar os personagens bizarros que surgem de portas e janelas invisíveis.
Eu sou medrosa. Não sinto vergonha de confessar que até o escuro me assusta.
Esses pesadelos com cenas de filme de terror, objetos que me dão medo, pessoas desfiguradas e coisas do tipo, me dão arrepios terríveis. O pior de tudo é que passo o dia todo pensando neles.
Eu não tinha motivos pra ter sonhos tão terríveis assim, mas, eles vieram.
Vai entender a mente humana, parece que sabe como provocar sensações terríveis de dentro pra fora com tanta intensidade que parece ser de fora pra dentro.
Odeio esses sonhos estranhos, odeio todo tipo de sonho, odeio tudo o que pode vir acontecer quando eu estou com os olhos fechados. Afinal, quando a gente fecha os olhos fica escuro também.
Fato é que posso mesmo ser uma pessoa que se impressiona fácil com coisas do submundo, mas mesmo assim, normal ter cinco sonhos seguidos com caixões e pessoas que já se foram não é. Ah mais não mesmo!
Para todos os efeitos, ainda bem que são sonhos. Péssimos sonhos.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

África não se resume a vuvuzelas!


Em tempos de Copa do Mundo o espetáculo proporcionado por milhões de 'dinheiros' impressiona muita gente, inclusive quando um evento de tal grandeza é em um país com tanta história e contrastes sociais.
A África do Sul com seus estádios majestosos agora, ainda é a mesma África do sul das crianças com olhar abatido e das famílias negras que participaram de episódios lamentáveis e ao mesmo tempo de orgulho.
A Copa movimenta o mercado de turismo, movimenta o dinheiro em território africano, porém, quando todo o espetáculo acabar em julho e os turistas voltarem, será que a população que lá se encontra ainda será tão lembrada nos jornais e reverenciada por sua raça?.
As vuvuzelas com seu barulho alto, chato para algumas pessoas, talvez sejam a forma deles mostrarem que em meio a tantas nações presentes eles também estão ali.
No dia 16 de junho de 1976, milhares de estudantes negros do Soweto (Africa do Sul) manifestaram-se para exigirem o direito a uma melhor Educação e o direito à aprendizagem da sua Língua nativa em vez do Inglês e do Afrikaans que aprendiam nas escolas. A manifestação pacífica se tornou outro dia sangrento do continente, mostrando que o respeito entre os seres humanos mais uma vez deixou de existir. Esse episódio hoje lembrado pelos jogadores da seleção sul-africana que vão enfrentar o Uruguai, mostra como esse povo de sorriso tão aberto apenas procura melhorias, como qualquer povo no mundo.
Milhares de crianças e jovens, até julho verão luzes na cidade, turistas comprando seus artesanatos, carros e jornalistas circulando por todo lado, mas, e depois ?.
A manutenção de estádios gigantescos é caríssima.
Se as crianças da África vão comer o 'dinheiro' da Copa após o término do evento só Deus sabe, e quem sabe, por um milagre, a triste cena da miséria africana mude depois de tanta badalação internacional.
( na foto, jovem assassinado em 16/06/76 em Soweto, ao lado, crianças e vuvuzelas)

terça-feira, 15 de junho de 2010

Todo mundo amando todo mundo


Hoje em dia é difícil saber quem ama quem ou o que. O 'eu te amo' se tornou tão comum quanto uma moeda de cinco centavos, ou até mesmo um montinho de mato na rachadura da calçada.
As pessoas pensam que o amor é um sentimento que pode surgir a partir do momento que são aceitas no orkut. Hipocrisia. Mal sabem limpar suas bundas ( e claro que eu não vou pedir perdão pela palavra bunda).
Se você conversa por dois minutos com uma garota de 15 anos, percebe que esta ama Crepúsculo, ama salto alto, ama o piercing que tem no umbigo, o cachorro que ela nem alimenta, o vizinho, a amiga que mora no Maranhão, a tampa da água que o Di (nx zero) jogou de cima do palco para os 'lixos' que o ouvem e assim vai ... o amor é tão grande que te cansa só pelo fato de ouvir. Mas na verdade, ela não sabe o que é amor, ninguém sabe.
'Eu te amo' deveria ser pago cada vez que fosse usado, assim não estaria na boca de qualquer um. Se você não tem certeza do que sente, cale-se, ou use um 'poxa, você é legal!', soa muito mais bonito do que algo que daqui cinco minutos vai voltar a ser status na sua página de relacionamentos.
Já banalizaram o abraço, o beijo, o sexo...
Está tudo tão ridicularizado que uma frase assim, de tanta força e significado deveria ter faixa etária, ou pena de morte por uso indevido.
A gente gosta muito, gosta a ponto de cometer loucuras, adora! Mas amor, é uma vez na vida. E você só terá certeza absoluta quando as pernas bambearem, as mãos ficarem trêmulas, o rosto queimar e alguns outros sintomas que levam a adrenalina a mil.
Por favor crianças inocentes (que de inocentes e de crianças já não tem mais nada) já que não sabem e muito menos imaginam o poder que essa frase tem, não a usem! não sujem a reputação do amor assim tão cedo. Cheguem pelo menos aos 30 pra ter certeza do amor, ou senão aos 19 como eu.
Mas, para todos os efeitos, se quiserem demonstrar um sentimento que não tem certeza, melhor que fiquem em silêncio, nem todas as emoções necessitam sair de dentro da boca.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

BláBláBlá


O que fazer quando as músicas nojentas e melancólicas invadem seu windows media player enquanto você tenta escrever alguma coisa útil no seu blog inútil ? Não sei.
Outra vez os monstros comeram toda minha vontade de escrever, de contar alguma coisa, inventar, criticar seja lá o que for. Me sinto ausente ' de mim ' esses últimos dias.
Parece que só escrevo bobagens do tipo daqueles blogs enfeitados de meninas de 13 anos que colocam no título um pedaço de música do Justin Bieber.
Fui olhar meus 'posts' antigos, eu até me expressei bem algumas vezes, contei historinhas e fetichezinhos de uma forma muito original. Passado. Descobri que não existe inspiração, existe vontade de escrever [algo assim, disse Ricardo Noblat no livro 'O que é ser jornalista', eu acho] e essa, foi pro inferno tão rápido quanto veio hoje de manhã.
Outro textinho de merda, não há quem aguente! Muito menos eu.
Então antes que eu jogue o computador contra a parede, com raiva de tanto digitar e apagar, melhor parar por aqui.
Hoje não estou com saco pra nada mesmo. Nada MESMO.

sábado, 12 de junho de 2010

Seus passos, meus passos...


Nem sempre andamos pelas mesmas estradas, e hoje a gente tenta cruzar os caminhos de toda forma. Gosto de te ter como minha sombra, mesmo que as minhas atitudes não digam o mesmo.
Parece que se você não estiver ali, trocando pé comigo, não consigo andar direito. Maldita mania de depender de você. Mas mesmo assim não me arrependo.
Os dias ao teu lado são sempre diferentes, e mesmo que eu reclame de rotina, até nossa rotina é diferente do resto dos casais. Pobres casais normais e seus relacionamentos de porta retrato. A gente tem outra forma de demonstrar carinho, principalmente quando nos entregamos as palhaçadas.
Seja rindo, seja chorando, você sempre me segue e eu te sigo. Coisa de instinto. Coisa de quem resolve andar pela mesma estrada do outro ao invés de seguir sozinho.
Não ligo de um dia parar no meio do caminho, sério mesmo. Satisfação maior vai ser me lembrar que andei meio caminho contigo. Pior seria andar o caminho todo pra no final perder as pernas.
Pra todos os efeitos bom mesmo é andar ao lado, assim as pegadas permanecem juntas.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

A Bruxa


E então, mais uma vez o vilão da história se repete.
Tem dias que as pessoas exigem que você sorria, fale coisas boas, conte piadas, faça elogios, enquanto na verdade o que você quer é ficar num canto pensando nas suas merdas particulares.
Sabe o que é pior nisso tudo ?! É que me falta simpatia e vontade de tê-la.
As vezes, eu queria que quando eu mandasse uma pessoa calar a boca ela realmente calasse, ou quando eu mandasse alguém sumir, realmente sumisse. Metade dos meus problemas se resolveriam fácil. Bem fácil.
Não gosto de lamentações vazias, nem de súbitos de bondade, quem dirá de me fazer de santa quando eu nem quero ser.
Odeio precisar voltar atrás pra que o mundo não caia sobre a minha cabeça.
A vida passa rápido demais pra perder tempo com coisas que só gastam tempo e nada mais, entende?! é como se você derramasse leite no fogão de propósito pra limpar depois, enquanto o do copo esfria e para beber, necessita aquecê-lo outra vez e quem sabe com muita sorte, não derrubar tudo no fogão denovo. Péssimo exemplo, mas é .
Eu nunca vou entender o mundo, nem eu mesma. Talvez eu não queira e não precise disso.
Só digo uma coisa : A gente se acostuma, e isso faz mal. Muito mal.


segunda-feira, 7 de junho de 2010

We Believe



Todos os dias cada um por si vai impondo metas e objetivos, creio que isso faça parte do processo da 'busca eterna pela felicidade'. Não acho errado focar numa coisa, ou em duas, ou em várias.
Seria estranho se todos os dias você acordasse sem uma vontade, seja ela grande ou pequena, real ou impossível.
Acredito também que maioria das pessoas acredita em sonhos impossíveis. Todo mundo quer mudar o mundo. Será que é mesmo possível que alguém, provido apenas de polegares e um terço de cérebro em uso pode mesmo mudar o mundo ? Será que isso não deveria ser um sonho conjunto ? Será que se mais pessoas acreditassem no impossível ele se tornaria possível ?
Talvez.
Nós acreditamos em felicidade, em um mundo melhor, em aceitação das diversidades, em vida longa...
Acreditamos demais em tantas coisas e de menos em tantas outras !
Eu particularmente, acredito em momentos felizes, mas não em felicidade. Talvez eu até acredite nesses contos de fadas imbecis que ouvi durante a infância, mas é claro que não vou admitir.
Enfim, quem sou eu pra ditar o que se deve acreditar.
Sei que acreditamos demais nos outros, e deixamos de acreditar em nós mesmo todos os dias, e é aí que mora a maior decepção humana. Mas uma coisa é certa, passaremos o resto das nossas vidas ( e que vidas conturbadas!) acreditando e desacreditando muito, inventando e criticando novidades, subornando nossas próprias vontades.
E assim o tempo vai continuar passando, e todos vão morrer acreditando em tudo aquilo que deveriam deixar de acreditar.
Complexo.

Lanterna dos Afogados

Quando tá escuro e ninguém te ouve
Quando chega a noite e você pode chorar
Há uma luz no túnel dos desesperados
Há um cais no porto pra quem precisa chegar
Eu tô na lanterna dos afogados
Eu tô te esperando, vê se não vai demorar
Uma noite longa por uma vida curta
Mas já não me importa basta poder te ajudar
E são tantas marcas que já fazem parte
Do que sou agora mas ainda sei me virar
Eu tô na lanterna dos afogados
Eu tô te esperando vê se não vai demorar
Uma noite longa por uma vida curta
Mas já não me importa, basta poder te ajudar
Eu tô na lanterna dos afogados
Eu tô te esperando ve se nao vai demorar
M.G.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Devour me as you design!


Passadas 24 horas ainda me fazia querer pingos d'agua e me fazia lembrar sem parar do risco, do medo, do cheiro do sereno invadindo o espaço.
Inspirou.
É difícil não querer e querer ao mesmo tempo...
Tudo confunde.
Esse jeito de rir e fingir tão meu quanto seu, assusta e faz com que as pernas fiquem bambas, dançando sem música. Essa falta de coragem e excesso dela, essa tal vida bandida a qual não pertencemos...
Você continua descendo todos aqueles labirintos que te trazem da sua torre secreta, e continua desfilando olhares e segurança, coisa de quem sabe o que quer mas não sabe como falar.
O rosto sem maquiagem, o jeito rude de falar, as mãos tremendo e suando frio no toque, é tudo intenso demais pra ser só meia hora. É pouco tempo pra quem queria noites longas.
E os pedidos escorreram pelos dedos.
Você volta pra sua realidade, pro seu mundo dos livros de sei lá quantas mil páginas divididas em justo e não justo, e eu volto pra a minha, toda rotineira, sem tempero. As vezes alho, óleo e só.
Aposto que não vai entender, sequer vai tentar! sequer vai perder tempo em uma leitura tão melancólica que em mim mesma causou dor no estômago!
Porém, mereço mais uma frase e que essa fique na cabeça, martelando : aventuras são o melhor remédio, e remédios também viciam.

O 'eu' engole o 'eu'



Acorda pobre garota que caiu na toca do coelho, o seu mundo não é de verdade e ninguém vai entender que seus machucados doem. Ninguém quer se responsabilizar e cuidar das suas feridas que insistem em arder, arder e arder.
Você nunca foi de chorar, sempre suportou as coisas feito uma pedra, sempre preferiu respirar sozinha do que suspirar com alguém, então acorda! você sabe bem como lidar com qualquer tipo de coisa.
Seja lá qual for o teu problema, aprenda a se virar sozinha outra vez. Os seus pés nem sempre andaram sobre flores e isso nunca te incomodou.
Que coisa é essa de deixar cair assim em público aquele líquido que você julgou sempre tão precioso?
Que criancinha assustada é essa que você aos poucos deixa escapar da íris ?
Droga de menina confusa.
Você já não usa sandálias com gliter, nem lacinho de flor no cabelo. Já não combinam com você biquinhos e voz doce.
Coloca outra vez no copo sua dose diária de 'eu' e volta a ser aquela que comanda não só o jogo, mas todas as jogadas.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Let's Play ?


Hoje vou falar sobre o jogo mais cheio de estratégias furadas do mundo: O jogo da vida.
Você planeja, planeja, planeja pra nada! afinal, vem aquela maldita coisa que se chama DESTINO, e como uma onda de 30 metros acaba com tudo, transforma tudo em lama.
Você é obrigado a jogar segundo as regras, você é obrigado a seguir pelas 'casas' que não quer por tantas vezes, que não existe um ser vivo que consiga afirmar que nunca pensou em desistir no meio do caminho ou talvez ceder um empate.
Seus aliados, viram inimigos, seus inimigos... ficam mais espertos!
Alguns copiam suas jogadas e você encurralado não sabe mais o que fazer, e com muito esforço consegue encontrar uma peça esquecida ali no canto do tabuleiro pra escapar entre os arames.
Ainda sim você corre, planeja outra vez. Ainda existe alguma coisa que de forma sobrenatural te faz querer continuar jogando e quem sabe até buscar um fim de jogo feliz.
A vida é mesmo um jogo tão estúpido quanto complexo!
Sem contar as jogadas erradas, inúmeras jogadas erradas que te fazem aprender mais do que com as certas, que são raras por sinal.
O manual de instruções não vem na tampa da caixa e muito menos no fundo dela, mais uma coisa é certa, é isso que torna o jogo mais suado e tentador.
Se for para falar de vida, todo o espaço do mundo é pequeno demais, toda tinta do mundo não basta e sei que qualquer um, tão maluco quanto eu ou um pouco mais, pensa igual ou parecido.
Apesar de divertido, o jogo é curto, pra definir melhor é bem aquilo de ' Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come'. A vida é bicho, e bicho feio!.
Mas mesmo assim te convido : Vamos jogar ?


terça-feira, 1 de junho de 2010

Smell of ...


Gosto do cheiro de perigo no ar, é a mesma sensação de pular de um avião sem para-quedas. Gosto de me sentir tão dona do meu destino quanto qualquer outra pessoa é do seu.
As vezes, fazemos coisas que demoram 24 horas pra que realmente a gente acredite que foi verdade, então, você acorda e diz : Porra!
A gente aprende a gostar mais de adrenalina do que o resto das outras pessoas, e esse vício não é nada saudável, mas muito interessante.
Uma mentirinha aqui, outra ali, o som de água caindo... Arrepia!
Fato é que as coisas que confundem a cabeça sempre se tornam as mais prazerosas, as menos recomendáveis, porém as mais engraçadas pra se lembrar quando já não tiver pernas pra andar.
Se é erro gostar de andar na rua ao invés da calçada eu já não sei, mas se isso me causa boas ou más sensações não deixa de ser um problema só meu.
Ninguém é totalmente seguro de si, eu muito menos.
Ninguém responde por todos os seus atos, muito menos eu.
Então, acredito sinceramente que uma grande manada de pessoas gosta de adrenalina e comandos errados do cérebro tanto quanto eu, e por mais que as vezes bata o medo, nem sempre você vai se render.
Outra vez palavras sem rumo nenhum, outra vez eu concordo que é complicado demais para que se entenda.