sexta-feira, 30 de julho de 2010

Nostálgico


É, esse é o tão temido futuro chegando mais rápido do que eu imaginava. Bem que me avisaram que quando eu menos esperasse, eu ia acordar maior e mais velha, e esse dia ia se chamar futuro, e nele as coisas não teriam volta.
É engraçado se começar a fazer uma reflexão sobre os dias em que minhas melhores amigas eram as bonecas com o cabelo 'picotado', as miniaturas dos Cavaleiros do Zodíaco (heróis!) e as formigas que subiam e desciam as paredes do quintal. Eu já fui inocente um dia!
As minhas obrigações não passavam de : 'Guarde seus brinquedos onde os pegou' e 'Coma toda a comida que está no prato!', ou seja, de certa forma era um tanto mais fácil cumpri-las.
Daquele tempo talvez 'bom' trago ainda o meu medo de escuro, a mania de esfregar os pés antes de dormir, e a profunda admiração por todo e qualquer tipo de super herói que surja por aí. Acho que em partes ainda conservo a mesma maneira de ser, um tanto complexa, outro tanto maluca . . . Ainda trago esse amor excessivo por todo ser vivo que não fale a minha língua, e troque confidências comigo entre lambidas, latidos e miados . . .
Como as coisas mudam não ?! Hoje minhas obrigações se topam, brigam entre elas para ver qual sugará mais a minha juventude e amanhã, qual delas terá realmente valido a pena.
Hoje procuro coisas que antigamente não faziam sentido. Um exemplo simples : Uma moeda de 0,25 centavos era um tesouro. Hoje não compro nem bala com isso. Não que o mundo virou 'dinheiro' do nada, mas eu aprendi que 'dinheiro' virou o mundo faz tempo.
Antes eu amava ouvir as músicas de abertura dos desenhos e memorizava todas, hoje, as músicas do tempo do meu pai é que me agradam. Vivia de cabelo comprido, de roupa enfeitada, sapato com luz . . .
Ê vida! como você tá passando rápido!
A preocupação veio, a faculdade veio, a necessidade de tocar a vida sozinha veio . . .
Meus próximos passos, mesmo os curtos, são de uma importância desmedida. Todos esses passos juntos é que estão construindo minha caminhada até aqui.
Nostalgia, essa é a palavra! Mas confesso que gosto, e gosto muito, de tudo o que vem vindo. Gosto mais ainda de saber que aos poucos, tudo vai dando certo, ou errado. Mas vai dando!
A ansiedade, o medo que já não é só de escuro, a vontade de gritar, enfim, essas coisas devem fazer parte desse mundo adulto que a cada dia me consome mais. E eu que achei que nunca faria parte desse 'clubinho' de gente grande. Só rindo para não resolver voltar no tempo, até porque, o passado não é tão bom quanto pintam!
Ê vida! Que bom que passa rápido! Que bom que ontem já se juntou as memórias e aos possíveis restos dos Cavaleiros do Zodíaco.
Lá fora o hoje já está acabando outra vez . . . E amanhã vem vindo. E vem correndo! A diferença, é que dessa vez estou preparada.
E se tiver que ser assim, é assim que eu quero que seja.

Geheimnis


O segredo é não querer as coisas, é deixar pra lá. Talvez seja parte do segredo deixar que elas venham até você, ou apenas ir pegando pelo meio do caminho.
Seja aqui nessa dimensão, ou em qualquer uma das tantas em que vivo, o segredo sempre foi evitar querer demais, e ter demais aquilo que tenho de menos: Paciência.
Se passaram dezenove anos desde quando resolvi ser independente e querer pra mim tudo o que que é quantidade abusiva de liberdade.
Ainda não tenho nas mãos nem um terço de tudo aquilo o que eu planejei nos mínimos detalhes, mas quem sabe, andando pelas esquinas tortas da vida elas comecem a 'cair do céu'.
Eu duvido que daqui até o fim dessa missão, eu tenha conquistado tudo, afinal se eu chegar 'lá' vou morrer antes do que deveria.
O segredo sempre foi ter a metade de tudo o que se quer, e continuar lutando da melhor forma que puder pra conseguir a outra parte.
Não posso julgar aqueles que já estão no topo aos vinte e cinco, ou aqueles que nascem no berço que balança lá no alto do Everest. Pena que esses não terão motivo algum para xingar a vida as vezes, para criticar o mundo e o que faz nele.
O segredo sempre foi não se desesperar, e eu nunca aprendi isso. Quem disse que eu queria ?!
Talvez eu deva mesmo passar pra próxima 'fase' desse jogo sem saber como matar o 'chefão', até porque, que graça vai ter se eu não ficar furiosa porque vou começar tudo outra vez ?
Não pretendo explicar o que se passa na cabeça de quem vive, muito menos a minha que é mais cheia de bagunça do que todas as cabeças bagunçadas do mundo!
É engraçada essa nossa vulnerabilidade, essa inocência. Foge do padrão de humor de qualquer circo por aí a fora!
Pulando as outras partes de pensamentos vagos e idéias que não vão somar, só confesso : O segredo é que não tem segredo algum.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Respira Fundo


Escuta agora aquela música que te faz relaxar. Fecha esses olhos molhados e pare de pensar nessas sacanagens e curvas que sua vida anda fazendo.
Respira fundo. Pense em coisas boas, no amor da sua vida, no futuro lindo que vem por aí. Pense nas coisas em conjunto, pensa que vai dar certo. Dessa vez vai !
Sente o vento entrando pelas frestas da janela fechada, sente a última lágrima caindo porque amanhã bem cedo alguma coisa boa vai acontecer. Notícias boas são seguidas de notícias ruins, e assim sucessivamente. Não deixa anoitecer dentro da sua cabeça, não vale a pena.
Sei que é difícil associar que o amanhã sempre pode ser melhor, mas olha, ontem foi pior que hoje. Volta a música quantas vezes for necessário. Grite uns dois ou três palavrões. Leia mais alguns capítulos do livro que te transporta pro lugar que você mais ama no mundo.
E no mais, espera até amanhã.
Quem sabe um reflexo de luz dourada entre no seu quarto enquanto você dorme, e amanhã sua cicatriz da testa já não doa.
Quem sabe amanhã será tão melhor do que hoje, que hoje será só uma lembrança.
Quem sabe, você saberá como lidar melhor com qualquer coisa que seja.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Sobre Eleições - 2010: Cristais Quebrados (por: Carlos Vereza)


2010: Cristais quebrados
*Carlos Vereza - ator e ex-petista.

O que nos aguarda em 2010
Não é necessário ser profeta para revelar antecipadamente o que será o ano eleitoral de 2010.
Ou existe alguém com tamanha ingenuidade para acreditar que o “fascismo galopante” que aparelhou o estado brasileiro, vá, pacificamente, entregar a um outro presidente, que não seja do esquema lulista, os cargos, as benesses, os fundos de pensão, o nepotismo, enfim, a mais deslavada corrupção jamais vista no Brasil?
Lula, já declarou, que (sic) “2010 vai pegar fogo!”. Entenda-se por mais esta delicadeza gramatical, golpes abaixo da cintura: Dossiês falsos, PCC “em rebelião”, MST convulsionando o país… Que a lei de Godwin me perdoe - mas assistiremos em versão tupiniquim, a Kristallnacht, A Noite dos Cristais que marcou em 1938 o trágico início do nazismo na Alemanha.

E os “judeus” serão todos os democratas, os meios de comunicação não cooptados (verificar mais uma tentativa de cercear a liberdade de expressão no país: em texto aprovado pelo diretório nacional do PT, é proposto o controle público dos meios de comunicação e mecanismos de sanção à imprensa). Tudo isso para a perpetuação no poder de um partido que traiu um discurso de ética e moralidade ao longo de mais de 25 anos e, gradativamente, impõe ao país um assustador viés autoritário. Não se surpreendam: Há todo um lobby nacional e internacional visando a manutenção de Lula no poder.
Prêmios, como por exemplo, o Chatham House, em Londres, que contou com “patrocínios” de estatais como Petrobras, BNDS e Banco do Brasil, sem, até agora, uma explicação convincente por parte dos “patrocinadores”; matérias em revistas estrangeiras, enaltecendo o “mantenedor da estabilidade na América Latina”. Ou seja: a montagem virtual de um grande estadista…
Na verdade, Lula, é o übermensch dos especuladores que lucram como “nunca na história deste país”.
Sendo assim, quem, em perfeito juízo, pode supor que este ególatra passará, democraticamente, a faixa presidencial para, por exemplo, José Serra , ou mesmo Aécio Neves?
Pelo que já vimos de “inaugurações” de obras que sequer foram iniciadas, de desrespeito às leis eleitorais, do boicote às CPIs, como o da Petrobras, do MST e tantos outros “deslizes”, temos o suficiente para imaginar o que será a “disputa” eleitoral em 2010.
E tem mais, o PT está comprando com o nosso dinheiro, Políticos, Intelectuais, juizes, Mlitares, o povo humilde com bolsa esmola e formando milicias com o MST, PCC, Sindicatos, ONGS, Traficantes e outros, que recebem milhões e milhões de reais, para apoiar o PT e as falcatruas do Governo lula.
Não podemos nem pensar em colocar como Presidente do Brasil, uma mulher Terrorista, que passou a vida assaltando bancos, matando pessoas inocentes, arronbando casas, roubando e matando as pessoas. Só uma pessoa internada num manicomio, seria capaz de votar numa BANDIDA para presidente de um País.
Confiram.


(Na minha opnião, pensando bem sobre o post que retirei do blog de Carlos Vereza,resta a nós, criarmos nossa própria opnião, seja ela inteligente e bem argumentada ou apenas formada pelos 'heróis do povo', enquanto usamos nossos belos cabrestos).


quinta-feira, 22 de julho de 2010

Flores Pra Que ?!



Odeio flores. Tenho alergia.
Acho um presente com significado subliminar, sem contar que atraem insetos. Eu odeio insetos.
Essa coisa de romance, velas e flores espalhadas na cama, me remetem a cena de filme com final triste, logo, prefiro não ter nem o colchão pra deitar e ser feliz apenas com a luz elétrica que ilumina bem mais. Não são todas as mulheres que se convencem com um sorriso de lado e um buquê na mão.
Sou dessas.
Dessas que preferem uma blusa de frio, um abraço apertado, sentar em qualquer 'colina' em frente ao lago que corta a cidade, ficar por horas, por dias, conversando e só. Dessas que não se prendem a juras de amor, que preferem não conviver com rotinas, com amores de novela das oito.
Nem todas poderiam ser iguais, com o mesmo cabelo, o mesmo cheiro, o mesmo sorriso amarelado. Alguma tinha que fazer careta na foto.
Essas bochechas beliscadas pra aparentar saúde, essas saias contornando as cinturas, e os saltos fazendo com que desfilem feito éguas em 7 de setembro. Sou muito mais as brigas febris que terminam no sofá da sala deixando a face rubra de verdade, ou talvez os filmes sem graça que só servem como desculpa esfarrapada pra por o colchão na sala.
As flores murcham, caem no chão, esfarelam e somem. Viram comida de microorganismos assim como os mortos. Se desfazem fácil, custam entre dois e cinquenta reais, e ainda vem com um bilhetinho insano cheio de frases de floricultura a beira da falência.
Nem tudo que faz uma cena ser bonita precisa ser imitado na vida real.
Odeio flores.

Luz dos Olhos


Ponho os meus olhos em você
Se você está
Dona dos meus olhos é você
Avião no ar
Um dia pra esses olhos sem te ver
É como chão no mar
Liga o rádio à pilha, a TV
Só pra você escutar
A nova música que eu fiz agora
Lá fora a rua vazia chora.

Pus nos olhos vidros pra poder
Melhor te enxergar
Luz dos olhos para anoitecer
É só você se afastar
Pinta os lábios para escrever
A sua boca é minha...
. . .E eu te chamo, eu te peço: Vem!
Diga que você me quer
Porque eu te quero também!
(trecho - Nando Reis)

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Miolos Mexidos


Ah essa minha cabeça sem limites! Quando penso que estou melhor, outra vez me pego fugindo descalço dentro dos meus pensamentos.
Sorte que são só meus. Muitas coisas eu colocaria a perder se todo mundo pudesse saber o que eu penso.
Quantas amizades iriam 'pro saco', quantas pessoas tentariam me matar, quantas decepções, quantas decepções! Pelo menos me livraria de muita gente sem fazer esforço algum, sem contar as insistentes cobras inconvenientes que se afastariam de mim por livre e espontânea vontade.
O pior, seria não conseguir mentir. Apesar de ser um péssimo hábito a mentira por várias me salvou, e mesmo sabendo dos riscos terríveis de ser pega, ainda acho que mentir é uma solução viável quando infelizmente algo não pode ser descoberto.
Não vem ao caso.
Hoje me pego perdida em pensamentos que não deveriam fazer parte de mim, e como não! É estranha a capacidade do nosso cérebro de produzir alguma substância (muito maldita) e fazer com que tudo o que é proibido seja bom ?! Como pode, você imaginar tanto uma coisa a ponto dela ser real ?
Complexo.
Fico eu aqui, escutando esse reggae absurdo que me faz postar esse tipo de coisa sem começo, meio e fim. Fico eu aqui desejando ter e ser coisas que eu não posso desejar.
Minha mente fértil, cheia de más intenções . . .

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Who are you ?



Você que diz ser alguém tão lindo, tão munido de simpatia, com encantos excessivos que até saem pelas orelhas, será que existe mesmo ? Será que pode ser tão real ? Será que seu cabelo é mesmo dessa cor, e seus olhos são mesmo tão claros ? Será que você vai mesmo continuar comigo durante doze horas seguidas todos os dias como promete? Será que você não mente por ter vergonha de ser quem realmente é ?.
________

A Internet foi mesmo a maior descoberta humana depois do fogo e não há quem possa se convencer do contrário. Fato é que todas as descobertas nunca são usadas somente para fins positivos, e como qualquer outra novidade do mundo, logo acharam como fazer 'maldade' online.
O mundo digital ficou infestado de 'fakes' [ perfis falsos em sites de relacionamento], e esses temidos personagens da internet começaram a ficar reais demais.
Os relacionamentos que começam na internet quase sempre 'saem da tela', e é aí que a coisa complica. Usar fotos de uma prima bonita não é nada legal quando se resolve gostar de alguém que nem ao menos se pode tocar.
São inúmeras as mentiras que as pessoas insistem em contar para serem quem não são, e normalmente, uma hora ou outra sempre tem alguém que descobre e a reação não é nada boa.
Infelizmente, existe uma fase na vida dessa nova geração em que a internet e o que se passa nela, são muito mais importantes do que as coisas do mundo real, até uma foto importa mais do que sair e respirar um pouco de ar puro. São horas seguidas de vida intensa num mundo onde todo mundo é o que quiser ser, sem contar que coisas erradas e atitudes covardes rolam soltas.
Sem mais filosofias e explicações dessa raça humana inexplicável, temos que ter noção de que as mentiras, sejam elas tocáveis ou virtuais, destroem a vida de muita gente. Viver num mundo de mentirinha onde tudo o que é surreal vira de verdade fácil demais, não é indicado para pessoas que se apegam e muito menos para aquelas que além de se apegar nutrem sentimentos muito mais fortes do que a imaginação permite medir.
Confiar, JAMAIS.
Se isso já era lei na selva aqui fora, não pode de forma alguma ser modificado na selva dos orkuts e messengers.


sábado, 17 de julho de 2010

La nuit dernière, notamment disgrâce!


O som do despertador lotou o quarto de qualqer música irritante lembrando que mais um dia amanhecia. O lençol permanecia intacto, como se nem o ar tivesse passado pelo quarto aquela noite. E não passou.
A janela meio aberta entregava que não fora pela porta que havia entrado. O cheiro de fumaça de qualquer tipo de cigarro barato era mais forte do que o oxigênio ali dentro, e os pés de sapatos espalhados mostravam o quão sóbria tinha ido dormir, se é que dormiu.
Algum ruído estranho conseguia ser maior que o som infernal do despertador, olhava para os lados e não encontrava de jeito nenhum o dinossauro que devia estar escondido ali por perto. Rindo percebeu que era apenas o som típico de um estômago sem nada sólido fora as tripas.
Totalmente sem saber o que estava fazendo, levou a mão a cabeça e sentiu uma dor profunda, como se algo tivesse arrebentado aquele pedaço cheio de cabelo manchado de tinta. De uma forma doentia, gostou de saber que pelo menos ainda sentia seu corpo, ou pelo menos a sua dor.
O jeans rasgado estava com o zíper aberto, nada anormal analisando os dias e noites de intensas aventuras com seus pouco mais de duzentos casos. A blusa de frio já não a pertencia mais, devia ter fugido enquanto ainda havia tempo, e o que estava por baixo ? estava mais embaixo do que deveria estar.
O espelho estava perto. A maquiagem borrada e a cara de boneca de plástico derretida assustavam mais do que qualquer filme de terror, que por ventura eram os seus preferidos.
Com muito esforço tentava se lembrar de algo, e mesmo que sentisse que uma mera recordação brotasse devagar, a mesma ia embora com tanta velocidade que mal dava tempo de perceber que tentou se recordar. Com muito mais esforço ainda, levou a mão no bolso e encontrou um pedaço de guardanapo de papel sujo de algum molho nojento : - 'Qualquer uma, seria melhor que você'. Se afogando em gargalhadas sonsas, lembrou vagamente da noite anterior.
Tirando a roupa devagar resolveu tomar um banho, precisava tirar do corpo aquele resto de noite passada. Noite mal acabada.
Sentia um aperto quando pensava no 'qualquer uma seria', mas o mesmo aperto se tornava mais engraçado que qualquer piada do mundo, e nenhuma lágrima seria percebida se escorresse junto com o rímel e a água do chuveiro.
Maldita liberdade, malditos vícios, maldito livre arbítrio.
Saiu do banho. Ainda molhada, nua e com um arrepio descomunal deitou na cama. Sentiu o lençol frio, abraçou um travesseiro alto e dormiu.
Apenas dormiu.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Mr. Confusion


Eu nunca sei como explicar o que sinto quando é de verdade. É mais fácil contar uma história ou inventar um conto erótico, do que tentar traduzir em palavras algo que corre quente e de salto agulha aqui dentro das minhas veias.
As coisas andam fugindo do controle faz tempo, e eu ? Eu mal sei como fritar um ovo, quanto mais como conduzir minha vida. Não vou me prender a melancolias, reclamar da vida ou jogar a culpa em alguma desilusão, pra mim não vale a pena perder tempo com esse tipo de desabafo de quinta, ou sexta a noite. Certo é que engasga, desce e sobe rasgando feito vodka.
Eu não sei bem o que quero ultimamente, não em matéria de coração é claro, meu músculo nojento em formato de bolota de carne anda 'muito bem, obrigado', a questão é muito mais séria do que eu mesma posso imaginar.
Me descrever anda sendo mais que um dilema. Um teorema talvez.
O que me conforta é saber que ainda posso contar com algumas risadas e 'bom dias' todos os dias entre 11 horas e meio dia, no mais, o resto tem sido mesmo só o resto.
Os dias tediosos desse inverno me deixam tão pra baixo que consigo ver as poeiras se organizando no chão para atacar minha alergia. Quando penso em conversar, pedir um colo de pai talvez, encontro uma manada de pessoas com caras e bocas tão amáveis que me dão vontade de vomitar.
Diz a minha mãe, que quando eu era pequena eu vivia falando com as formigas. Não importavam se eram 10 ou 100, todas tinham nome e história de vida. Quem sabe eu volte a falar com elas, pelo menos sei que não vou enfrentar grandes problemas com meus segredos.
Mas ainda acho que minha maior necessidade nesse momento não é por para fora o que insiste em ficar dentro, é só encontrar alguma forma de organizar o que me faz estar assim, tão preocupada, tão exageradamente sufocada.
Eu jurei pra mim mesma, e isso já faz algum tempo, que não me renderia a textos problemáticos, logo, esse não será um, ou corto meus dedos antes de terminar de escrever a última palavra. Garanto.
Acho que preciso de um pouco de loucura, um pouco de dinheiro, um pouco de silêncio, ir para Las Vegas. Tenho certeza que preciso me afastar de problemas familiares, trabalhar em alguma coisa que exija minha atenção, estudar até os termos de jornalismo vazarem pelos meus olhos.
Eu ando mesmo sem um pingo de noção do que fazer comigo. Eu ando mesmo cruzando as pernas demais e aceitando muito 'não' de todo mundo. Cadê eu ? Cadê a menina que falava com formigas e depois matava todas com fósforo ?
Sempre quis fugir, mas sempre ficou no mesmo lugar. Ótima frase para terminar sem rumo algo que começou sem intenção de chegar a lugar algum



quinta-feira, 15 de julho de 2010

Viva aos nossos HERMANOS!


Mais um país resolveu acabar com esse preconceito ridículo e homofóbico que nos cerca aceitando em seu território casamento entre pessoas do mesmo sexo.
Os nossos hermanos argentinos, se mostram a frente de muitos países da América Latina sendo o primeiro a aceitar os tão comentados casamentos gays.
Após 14 horas de muito debate e discussão, com 33 votos contra 27 (uma votação apertadíssima), mais uma vez venceu o direito de cada um ser o que é, e fazer com que a sociedade aos poucos, se cale contra preconceitos de toda e qualquer espécie.
É claro que uma lei desse tipo não muda de uma hora para outra a reação de heterossexuais a respeito da opção sexual dos homossexuais, e muito menos vai abolir todo o preconceito que os mesmos enfrentam, porém já é um grande passo rumo a um mundo menos peculiar.
Ativistas brasileiros afirmam que essa atitude da Argentina vai influenciar sim no nosso país, e é louvável que nossos representantes que ganham tão bem para isso, tomem vergonha na cara e parem de aprovar leis banais e votar em quem tem mais podres carreira, e abram os malditos olhos para as minorias (que já não são tão minorias assim).
As conquistas de gays, negros, mulheres, crescem a cada dia. É errado governar uma cidade, um país, com regras e leis da idade da pedra lascada.
Com tantos avanços da ciência e da tecnlogia, com tanta coisa importante acontecendo em volta desse ninho de sei lá quantos bilhões de habitantes, já começa tarde o reconhecimento de que cada um, independente do que goste, tem os mesmos direitos e deveres do outro.
Hoje em dia anormal é se julgar normal.
As barreiras que impedem a nossa sociedade de ser justa e menos selvagem do que os homens das cavernas estão dentro da cabeça de cada um.
Seria muito mais 'bonito', se ao invés de se preocuparem em tirar o direito de uma pessoa ser feliz pelo fato de amar alguém do mesmo sexo, alguém tivesse uma luz divina que seja, para cuidar desses escândalos com padres loucos por criancinhas, líderes do tráfico desfilando com sua coleção de armas e mulheres, ou então, com um ou outro assassinato que acontece ali na esquina não é mesmo ?!
Mas é claro que é mais fácil condenar uma minoria que só luta pelos seus direitos do que correr atrás dessa selvageria desmedida.
No mais, parabéns Argentina! Não levou a Copa (como nós, e bem feito para essa nossa seleção de merda), porém teve uma atitude de nação que visa um lugar melhor para todos. TODOS.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Farelo



Tarde de céu nublado, silêncio na rua, ótima para um passeio consigo mesmo . . .
Acima de qualquer suspeita, o velho senhor com a bengala reluzente caminha pela praça. Os seus passos lentos demais, suas roupas talvez vindas da segunda guerra, o óculos ocultando o que seus olhos realmente observam. É só mais um senhor buscando um banco vazio entre três e quatro da tarde.
Os pombos da praça adoram esse homem, até porque o saco com farelos de pão de ontem nunca está vazio, e suas mãos ainda que tremam um pouco, jogam todo o farelo fazendo desenhos de pombos e pardais pelo chão em volta do chafariz.
Todas as pessoas que passam admiram o senhor sentado indefeso, todos admiram a grandiosidade que deve ter o caráter desse senhor, que por baixo deve estar beirando os 75.
O sino da igreja avisa que chegam as seis da tarde, hora de voltar pra casa e tomar seu chá quente, assistir um pouco de tv colorida e talvez quem sabe trocar os óculos de passeio pelos de leitura, e acompanhar o que escreve algum autor contemporâneo que insiste em descrever o passado.
Abre o portão, sorri para a filha da vizinha que se agarra contra o muro com seu namorado vinte anos mais velho. Entra na sua casa que sempre cheira a naftalina e livro velho.
Estrala os dedos, guarda a bengala e tira os óculos de passeio.
Já são sete horas e o que o velho senhor simpático da praça resolve fazer ?
Liga seu notebook, acessa qualquer site pornográfico enquanto seu msn carrega. Seu nick name é qualquer coisa que viraria apelido de uma garoto magro de dezesseis anos; Milhares de janelas laranjas de Paulinhas, Flavinhas e Anas de toda espécie começam a piscar ali embaixo na barra de ferramentas.
Ele pensa : Hoje só quero as de 14, melhor deixar as de 16 pra semana que vem.

E então sociedade, você ainda consegue saber quem é o vilão e quem é o mocinho ? Será que os tatuados, os fumantes e amantes de poker são mesmo os maus elementos ?
Até quando vamos acreditar que uma pessoa é considerada inocente ou culpada, com ou sem caráter, pelo o que veste, ouve e bebe ?
Infelizmente já não se fazem pessoas como antigamente.

terça-feira, 13 de julho de 2010

Chovendo


Dizem as más línguas que nada cura um dia de chuva, porém, confesso que sou do contra. Há um charme muito peculiar num dia chuvoso, desde as gotas frias na pele ao encontro dos corpos ainda envolvidos pela coberta.
Entre a meia noite e as seis, o barulho fininho arranhando as paredes do lado de fora, as gotas tímidas tocando o chão, enquanto os pneus derrapam nas ruas, devagar . . . tudo bem devagar!
As mãos buscam os bolsos, os braços uma lã que envolva, e os outros braços ? a mesma lã!
Um dia de chuva com aproximadamente 15° graus é muito convidativo. O frio naturalmente já contorna toda a pele, algo similar ao arrepio só que um pouco mais intenso.
Acordar pra que ?! Melhor ficar escondido entre um par de pernas e o cobertor, melhor deixar todo mundo se molhando na rua enquanto seu corpo pede um carinho e um leite quente.
Deixe que todos se perguntem onde você está, enquanto a água fica forte e enfraquece entre os minutos que vão passando.
A vida é corrida demais.
O que tem se está chovendo ? Quem liga se o sol resolveu sentir preguiça hoje.
Deixa continuar chovendo pelo menos por mais duas horas. Está tão confortável o cheiro de terra molhada misturada com fumaça de leite. É tão gostoso!
É só ligar uma música francesa, se aquietar entre um abraço e um beijo, beber o que resta na sua chícara enquanto lá fora o céu se lava um pouquinho, o sol descansa um pouquinho, o barulho de buzina fica mudo um pouquinho.
Quem liga se continuar chovendo até amanhã . . .

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Dentro


As coisas parecem cair entre os vãos dedos como areia . . .
Em um instante a mesma sensação de estar no céu parece te dar uma rasteira muito forte e te levar direto para o inferno. Sentimentos contraditórios no mesmo dia não fazem bem ao coração.
Ao mesmo tempo que pequenos diamantes escorrem dos olhos quando sente uma alegria sem medidas, caem em dobro esses mesmos diamantes quando ali dentro alguma coisa aperta, e aperta tanto que te faz faltar o ar.
O ser humano é mesmo uma máquina muito imperfeita, cheia de pequenos mistérios que nunca serão desvendados, cheio de pequenos crimes entre uma veia e outra.
Muitos gênios já disseram, ou talvez advertiram, que não é certo confiar nos sentimentos, não é válido que se deixe levar por emoções e pior ainda confiar no destino, e ainda assim, nós abrimos a boca, com cerca de 36 grandes esmagadores de comida, e puxamos do estômago a coragem para nos manter vivos. Tiramos de toda e qualquer gota de sangue algum resto de força para acreditar que o dia seguinte será melhor do que o que passou.
E outra vez, pequenos cristais começam a esquentar as pálpebras, contornando o nariz, derrapando suavemente até caírem do rosto em algum lugar da sua roupa.
Chorar. Santo remédio.
Não sei se faz algum sentido, mas parece que quanto mais se acredita e quer algo, mais ele se afasta, parece que existe alguma força maior do que você que insiste em brincar com o seu íntimo, seu pedaço mais profundo dentro dessa 'engenhoca' toda que somos.
E o que sobra nisso ? Chorar pequenos brilhantes, logo quando queremos fingir que somos super poderosos.
Super poderes são mesmo utopia!
O jeito é continuar acreditando que de dentro é que vem a solução para tudo nessa vida e talvez até na próxima. A forma mais sábia de se morrer, é acreditar que não existe uma fórmula perfeita para se viver, e quando menos esperar essa máquina se desliga, os pequenos diamantes secam e já não há mais motivo algum para se alegrar, é claro, porém muito menos para se entristecer.
Talvez, seja mesmo melhor assim . . .

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Slut photo


E tem gente que ainda acredita nessas caras de anjinho com sorriso amarelo cortando as duas bochechas.
Trágico.
É incrível como existem pessoas que ainda pensam que são espertas o suficiente a ponto de permanecer 'penumbrando' a vida do outro por uma centena de tempo . . . sinto pena, sinceramente.
Apesar de causar duzentos sintomas variados de rancor, são essas mesmas pessoas que morrem sozinhas, no fracasso, a sombra daquelas que sobem rindo da sua desgraça particular.
Concordo com o fato de que mentiras são mesmo um veneno terrível [e como são], mas mentiras mal contadas, sem um bom 'gancho', sempre acabam, mesmo que demore um século ou uma semana.
Talvez, criticar alguém que já se auto ridiculariza seja muito maldoso da minha parte, mas seria tão cruel assim, se tal ser não fosse uma grande fossa ambulante. Essa raiva barata anda me deixando sem inspiração, todas as vezes que decido escrever as palavras viram vespas.
Então, sem mais esforços, só quero deixar claro que não são coisinhas vindas de uma câmera fotográfica que vão conseguir me fazer tremer. Nem me fazem cócegas.
Acredito que pra todo mal do mundo, existe um mal muito maior guardado, e pra pessoas [ se é que são pessoas], que insistem em continuar vivas assistindo a felicidade alheia e tentando inutilmente atrapalhar, existe um lugar chamado inferno. Que cruel.
Um conselho é válido, mexer com quem não se deve nunca foi uma boa idéia, então, quando resolver fazer da sua vida uma novelinha mexicana, pense duas vezes pra não deixar o vilão com o final feliz.
i back.